Economia Colaborativa – Conceito parte II

Para entender melhor a economia compartilhada nada melhor que exemplos de produtos que ja estão mudando nossos hábitos e saber quem são os usuários.

Até 2019 mais de 100 milhões de pessoas ja se hospedaram na casa de desconhecidos usando a plataforma Airbnb e o UBER atingiu mais de 100 milhões de usuários ativos.

Essa prática de alugar, emprestar ou até mesmo trocar gira em torno confiança, preservação do meio ambiente e acesso ao que você precisa gastando muito menos.

SERVIÇOS MAIS UTILIZADOS

As caronas estão no topo da lista (4% dos entrevistados), seguida de aluguel (38%) para temporada e o terceiro mais utilizado é aluguel de roupas e acessórios (33%).

Outras atividades são as bicicletas compartilhadas (21%), financiamentos coletivos (16%), coworking (15%), aluguel de brinquedos (15%) e compartilhamento de moradias, também conhecido como república ou cohousing (15%).

A ZANTZ veio para adicionar mais um item nessa lista que é a entrega colaborativa, afinal todos queremos pagar menos nos fretes e envios de encomendas particulares.

QUEM SÃO AS PESSOAS QUE ESTAO ADERINDO AO COMPARTILHAMENTO?

Pesquisa feita, no Brasil, pela Confederação Nacional do Dirigentes Lojistas e SPC do Brasil confirma que 74% dos entrevistados ja experimentaram troca, aluguel ou compartilhamento.

A geração Z representará 32% da população mundial em 2019, superando a geração conhecida como millennials As estatísticas são baseadas em dados da Organização das Nações Unidas (ONU), que utiliza 2000/2001 como divisão geracional.

O principal fator que diferencia a geração Z dos millennials é um elemento de autoconsciência, em vez do egocentrismo, apenas 6% das transação envolvem dinheiro. Essa mudança demográfica mostra impulsionamento do serviços de entrega, fabricantes de eletrônicos e para a economia de compartilhamento.

Conforme a pesquisa SPC Brasil…

  • 8 em cada 10 pessoas estão dispostas a experimentar.
  • 9 em cada 10 pessoas acreditam que a economia compartilhada é uma prática que vem ganhando mais espaço na vida das pessoas.
  • 68% creem que, em até dois anos, podem incorporar esta nova forma de consumir no seu dia a dia.
  • 81% das pessoas acha que a economia colaborativa torna a vida mais fácil e funcional.
  • 71% acham que possuir muitas coisas em casa mais atrapalha do que ajuda
  • Mais de 80% entendem que a economia compartilhada é uma mudança de paradigma, sendo esta quebra impulsionada pela tecnologia.
  • A modalidade mais utilizada é a carona.
  • 61% usou consumo colaborativo para economizar e 88% acham que quantia poupada é significativa.

VAMOS COMEÇAR?

Olhe ao seu redor e veja o quanto de ativos que você tem e que usa esporadicamente. O que você estaria disposto a compartilhar? Quais seus receios? Escreva a sua lista nos comentários.

Deixe uma resposta

Fechar Menu