10 Princípios da mobilidade compartilhada e como resolver esse caos.

 

Estamos em 2019 e não é difícil perceber que se locomover nas cidades esta cada dia mais difícil. Até em Nanuque, uma cidadezinha mineira de 30 mil habitantes, sofre com congestionamento. O prefeito já colocou sinaleiro, rotatória, tirou o sinaleiro mas não teve jeito, atravessar para o outro lado da cidade esta ficando cada dia mais complicado por causa do engarrafamento.

Caímos no caos e a tendência é piorar.

O motivo disso? Excesso de carros, motos, e aumentos da população devido migração do campo para a cidade.

Agora imagine a sua cidade em 2027! Imagine que, além dos fatores que estão ocorrendo nas cidades, cada vez mais os hábitos de compras pela internet se espalhará e mais e mais entregas serão feitas por VUC, Fiorinos, etc. A Fedex estima que em 2026 as entregas dobrarão em números, nos EUA. Aqui no Brasil o e-commerce crescer[a 16% em 2019, e j[a se sabe que de 2007 a 2017 aumentaram em 50% a quantidade de carros nas rodovias paulistas, e será daí pra pior se continuarmos com o mesmo estilo de vida.

O ritmo da inovação impulsionada pela tecnologia do setor privado em serviços de transportes compartilhado, veículos e rede é rápido e cheios de oportunidades. Ao mesmo tempo as ruas das cidades são recursos finitos e escassos. Devido a esse cenário um grupo de ONGs, no Evento Mundial de EcoMobility em Taiwan, produziram 10 princípios da mobilidade para orientar tomadores de decisões urbanas em busca de melhores resultados.

Como a ZANTZ contribui? Veja a lista dos 10 principios!

1- Cidades e mobilidade devem ser planejadas juntamente;

2- Damos prioridade às pessoas antes dos veículos: o movimento da pessoas e não dos veículos, deve ditar a tomada de decisão da configuração das cidades; (ZANTZ)

3- Apoiamos o uso compartilhado e eficiente de estradas, veículos, vias e espaços. Não incentivamos veículos ou instalações de grandes dimensões ou espaço de estacionamento em excesso; (ZANTZ)

4- Engajar as partes interessadas nas tomadas de decisões;

5- Promovemos a equidade. Consideramos a acessibilidade física, digital e financeira do transporte público compartilhado como um bem comum. Deve ser levado em consideração no momento do projeto urbano para garantir o uso por todos; (ZANTZ)

6- Nós lideramos o transição para um futuro sem emissões, alimentadas por energia renovável. O transporte público e as frotas compartilhadas acelerarão a transição para veículos de emissão zero; (ZANTZ)

7- Apoiamos preços justos para cada meio de transporte;

8- Visamos benefícios para todos os cidadãos através de dados abertos. A infra-estrutura de dados por trás do sistema de transporte público deve permitir a interoperabilidade, a concorrência e a inovação, garantindo a privacidade, responsabilidade e segurança;

9- Trabalhamos para integração e conectividade sem interrupções. Todos os modos de transporte devem ser integrados.

10- Argumentamos que, em locais densamente povoados, os modos autônomos de transporte só devem ser operados por meio de frotas compartilhadas. (ZANTZ)

ZANTZ é parte da solução.

A ZANTZ foi criada baseada na economia compartilhada, pensamos em pessoas e não em veículos. Queremos aproveitar os recursos que ja estão indo e vindo para fazer os transportes das mercadorias, gerando a famosa entrega compartilhada ou logística compartilhada.

Na ZANTZ, para estar apto a fazer entregas basta se locomover, não importa como, pode ser por ônibus, metro, patinete, temos até a opção com cadeira de rodas.

Dessa forma não precisamos adicionar mais veículos nas ruas para fazer as entregas. Não adicionando veículos diminuímos a pegada de carbono e com a vinda dos carros autônomos podemos usar a mesmíssima plataforma, obtendo emissão zero.

Brasileiros com muito orgulho!

Somos uma startup brasileira disponibilizando tecnologia para uma melhor harmonização entre estruturas das cidades, estilo de vida e sustentabilidade.

Deixe uma resposta

Fechar Menu